7 Pilares dos Relacionamentos Saudáveis

Relacionamentos saudáveis são algo que todos procuramos, seja no contexto amoroso, de amizade, profissional e, principalmente, pessoal.
Os desafios para manter o equilíbrio são constantes e, facilmente entramos no looping do
stress, do conflito e da desarmonia.
Relacionamentos saudáveis são os que representam a harmonia interior de cada um e
promovem o bem-estar de todos. A capacidade de amar e sentir-se amado, acrescida da habilidade de criar e manter o convívio define a qualidade das relações. Esse é um factor crucial na vida humana, pois somos seres socialmente dependentes.
Apresento a seguir aqueles que acredito serem alguns dos pilares mais importantes para a
harmonia nos relacionamentos e algumas questões e reflexões que levarão a perceber como está o relacionamento consigo e com os outros.
Vamos a isso?

  1. O AFECTO: Numa escala de 0 a 10, quanto se sente verdadeiramente amado, respeitado e aceite pelas pessoas com as quais convive? Se a sua resposta for abaixo de 5, acredito que esse seja um ponto de melhoria que precisa ser
    trabalhado para que consiga atingir o nível máximo de autosatisfação.
    Entender a razão das suas carências afectivas é uma das chaves para conseguir
    relações saudáveis.
    Basicamente, existem dois tipos de suprimentos afetivos: internos e externos.
    Externos são os que recebemos dos outros: valorização, aceitação, acolhimento,
    protecção, atenção.
    Internos são referentes à autoestima, ao auto-elogio, ao foco no positivo, ao sermos o nosso melhor amigo evitando autocrítica e auto-julgamento negativos, ao foco na solução em vez de no problema.
  2. A EMPATIA: passa obrigatoriamente pela compreensão e respeito pelos
    sentimentos do próximo. Diz respeito à aproximação interpessoal, pois a empatia é a habilidade de se ligar ao outro de maneira verdadeira e profunda e, por isso, os seus benefícios são inúmeros. É ainda a arte de demonstrar afecto, carinho e amor pelo outro. Desenvolver a empatia parece trivial, no entanto, ainda gera
    confusão se é uma qualidade individual, ou se depende de um estado de
    espírito. Não é à toa, que a empatia já é objecto de estudo em diversas áreas, nas quais ter tal capacidade é o ponto-chave para se ter resultados positivos.
  3. A COMUNICAÇÃO: Comunicar de forma saudável é um dos pilares mais importante nos relacionamentos, sejam eles amorosos, de amizade ou
    profissionais e, não menos importante, no relacionamento connosco próprios. A forma como comunicamos faz toda a diferença nos resultados que obtemos.
    Além de saber comunicar, é muito importante saber ouvir. O fato de receber bem a informação que a outra pessoa procura nos fazer chegar irá evitar que surjam tensões desnecessárias. Desta forma, poderemos evitar mal-entendidos e será mais fácil desenvolver a empatia com o outro.
  4. O RESPEITO: é um dos valores mais importantes do ser humano e tem grande importância na interacção social, nos relacionamentos. O respeito impede que uma pessoa tenha atitudes reprováveis em relação a outra.
    Na hora de construir uma relação saudável e feliz, não é imprescindível que concordemos em tudo, é fundamental que respeitemos o espaço, a visão e
    opção do outro. Respeitar o outro é crescer de mãos dadas, sem imposições, sem
    expectativas, sem dependência emocional e sem agressões. Quando há respeito, os conflitos são mais facilmente evitáveis e o Amor flui. Aprender o auto-respeito é essencial para aprendermos a respeitar o outro, pois quando nos respeitamos somos capazes de respeitar as nossas relações. E é importante sempre lembrar que ninguém precisa concordar para respeitar o outro.
  5. A CONFIANÇA: entendida como "um estado psicológico que se caracteriza
    pela intenção de aceitar a vulnerabilidade, com base em crenças optimistas a respeito das intenções (ou do comportamento) do outro". É, sem dúvida, uma das bases dos relacionamentos, e quando em falta, uma das bases de todos os
    conflitos. Num contexto de relacionamento pessoal, a falta de Confiança é um
    dos recursos que mais é trabalhado no Coaching de forma a capacitar as pessoas para que com mais facilidade e segurança, atinjam as suas metas e realizem
    os seus sonhos.
  6. A PAIXÃO: A ideia da paixão, só nos primeiros tempos dos relacionamentos, é
    uma crença que deve ser alterada. E esta aplica-se tanto nos relacionamentos amorosos, como na relação connosco próprios. Sabe-se por experiência que os
    relacionamentos com paixão são vividos de forma mais intensa e libertam hormonas que nos fazem sentir bem e felizes. Um dos pilares nos relacionamentos é manter essa paixão, seja qual for o tempo do relacionamento e seja qual for a nossa condição: numa relação ou a sós. Manter atitudes que tragam "as borboletas na barriga" é uma forma de ter sempre presente a paixão
    nos relacionamentos.
  7. A HARMONIA: não existe uma fórmula exacta para os relacionamentos felizes. Cada relação é única e é constituída por duas individualidades específicas. A
    harmonia nos relacionamentos, deve começar pela harmonia individual, só assim estarão reunidas as condições para se obter a harmonia a dois.
    A harmonia e o equilíbrio são fundamentais para que haja estabilidade na relação com as pessoas que fazem parte do círculo pessoal. A felicidade e a satisfação,
    vindas desse controle emocional, serão responsáveis por manter as suas metas e sonhos em ponto de motivação, sempre voltados à concretização e realização pessoal em diversas áreas: amorosa, familiar ou profissional.

Trabalhar cada um destes pilares traz aos relacionamentos equilíbrio, bem-estar e crescimento.

Artigos relacionados

Sem comentários

Deixe um comentário